Destaques

Tags

Restrição no CPF e financiamento imobiliário: qual é a relação?

Compartilhe:

Escolher algumas alternativas, agendar as visitas, ir até cada um dos bairros e avaliar os imóveis são passos para aqueles que estão em busca da casa própria. Nesse caminho que envolve diversos requisitos, um deles é não ter nenhuma restrição no CPF, apresentando o “nome limpo”.

O fator é primordial para quem busca um financiamento imobiliário e quer encontrar o aporte necessário para realizar a compra. Isso acontece porque os bancos e instituições levam em consideração o valor que pode ser liberado em cada nome e qual é a forma que  aquele indivíduo se relaciona com o mercado financeiro.

Quer saber mais sobre o assunto? Então aproveite para conferir o conteúdo completo!

Restrição no CPF: o que é?

Quando o assunto é buscar o aporte necessário para comprar um imóvel, é importante ter em mente os requisitos necessários para ter acesso ao crédito. Não ter nenhuma pendência ou dívida é a principal, afinal, o banco não pode liberar o limite quando existem outras pendências.

É por isso que a consulta do CPF é uma etapa importante. É por meio deste cadastro que a instituição será capaz de conferir como está o seu relacionamento com o mercado, quais são as dívidas que estão em dia e as pendências que ficaram sem pagamento.

Lembrando que uma fatura ou um boleto que fica em aberto passa a ser registrado no CPF de cada pessoa. A única forma de regularizar a situação é pagando as dívidas e aguardando que cada empresa retire a restrição que estava no registro — processo que pode levar alguns dias.

Como a restrição pode atrapalhar em um financiamento imobiliário?

O financiamento é uma negociação que deve ser analisada, avaliando os critérios e quais são as solicitações que estão de acordo. É por isso que, antes de liberar o valor, a organização fica com a responsabilidade de avaliar os ganhos, gastos e possibilidades para cada comprador.

Sendo assim, quando as informações indicam para restrições no CPF, o banco pode negar o crédito ou baixar o valor, ação que pode impedir a compra do imóvel desejado. A decisão é tomada de acordo com o valor que está em aberto e como a dívida não paga pode influenciar no financiamento.

É importante ter em mente que o valor da parcela, por exemplo, não pode ultrapassar os 30% do ganho de cada família — porcentagem que pode ser ainda menor nos casos em que existem dívidas.

Em determinadas situações, dependendo da restrição, a instituição pode negar o financiamento, processo que será possível após a finalização das dívidas.

É por isso que um dos critérios mais importantes do financiamento imobiliário é estar com o “nome limpo”, sem nenhum tipo de restrição.

Avaliando as possibilidades

Depois de pagar as dívidas, a organização será responsável por pensar nos valores e quais são as melhores alternativas para cada comprador. Com taxas e programas exclusivos, o segredo é encontrar aquilo que combina com o seu desejo e com a quantia que pode ser liberada.

Por isso, não deixe de anotar todos os gastos que estão envolvidos na compra de um imóvel e pense se este é o momento ideal para dar o próximo passo.

Quer alugar ou comprar?

Seja um apartamento à venda em Mauá ou apartamento para alugar em Santo André, o fato é que uma equipe de especialistas é o que você precisa para te ajudar. Entre em contato com os nossos profissionais e saiba mais!

Quer continuar acompanhando todas as nossas dicas? Siga o Blog da Total!

Aproveite para acompanhar as nossas redes sociais e ficar por dentro das novidades do mercado imobiliário.

Artigos recentes

porteira

O que é porteira fechada?

No universo dos negócios imobiliários, diversos termos específicos são utilizados para descrever tipos de transações e acordos. Um desses termos é “porteira fechada”, uma expressão

Leia mais »
Composição

O que é composição de renda?

A composição de renda é um conceito fundamental no planejamento financeiro familiar, especialmente em tempos de incerteza econômica. Muitas vezes, não é suficiente depender de

Leia mais »